GOD OF WAR 3

12/01/2017

Meu caso com God of War data da época do Playstation 2, ver que o novo console da Sony era capaz. Aliás, é engraçado o fato de eu sempre me referir às minhas experiências com os jogos, geralmente eu vejo isso com bons olhos, pois é a passionalidade, entre outros ingredientes, que garante a particularidade dos meus textos. Mas é justo esse envolvimento com os jogos (o de não os considerar apenas um modo de passar o tempo nas horas de tédio).

Eu posso afirmar, mesmo tendo jogado TODOS os GOWs lançados (e platinados todos eles no PS2 e PS3), sou um fã fiel da franquia é claro, o fato de que o jogo ter uma qualidade grafica excepcional e a série ser em sim e muito extigante eu não poderia deixa de ser um fã desta franquia.

sem mais enrrolação para que podemos ententer este games a saga de Kratos cuja a pronúncia (KRÁTOS) no grego "KRÊITOUS", como alguns gostam de retificar).

Começando por um dos meus preferidos da franquia. Eu juro que o fato dele ter sido relançado para o Playstation 4 (console que possui o maravilhoso recurso de tirar screenshots e gravar gameplays, uma mão na roda pra qualquer gamer, creio que estou pronto pra curtir uma análise dessa saga God of War mais hoje ficarei na analise apenas do GOW 3.God of War 3 continua a história de Kratos, que foi sacaneado por deuses e Titãs igualmente e precisa matar geral mais uma vez pra vingar a morte de sua família. Mas usar a palavra "continua" pra descrever o enredo desse jogo é algo que não faz jus aos fatos: God of War 3 continua EXATAMENTE do ponto onde o segundo jogo termina, com Kratos escalando o Monte Olimpo no lombo de Gaia e tocando a boiada de Titãs enfurecidos pra acabar com a raça dos deuses sob o comando de Zeus, pai de Kratos e líder das deidades.

Ah, vai me dizer que revelar, em pleno ano de 2017, que Kratos é filho de Zeus é um spoiler? Se você vai fazer beicinho e reclamar disso, só posso pedir pra você falar com a minha mão esquerda. Mas continuando.

Ao chegar ao Monte Olimpo (pra ser mais exato, a escalada nem chega a se concretizar), Kratos, Gaia e os outros Titãs são derrubados por Zeus, Poseidon (nem se preocupe que vou abrir um parágrafo dedicado ao Senhor dos Cavalos, mais à frente) e pelos outros deuses. Gaia quase perde uma mão, Kratos cai no rio Estige (e leva umas dedadas violentas das almas perdidas, que o fazem perdem toda a XP que ele ganhou nos outros jogos) e a jornada do brutamontes em busca de vendeta recomeça mais uma vez.



Então, pouco me importa se os roteiristas precisam inventar uma desculpa esfarrapada pra Kratos perder (quase) todas as suas habilidades, e ter que galgar sua chance de vingança matando harpias de nível 1 pra acumular XP. Os jogos da franquia GOW são tão bons, e prazerosos de jogar, que detalhes como esses simplesmente configuram como um saldo de guerra positivo em troca da chance de jogarmos mais um excelente episódio da série.

Pois bem, partindo pras considerações sobre o enredo em si: God of War 3 é o jogo que vem pra encerrar a história de Kratos so que não! Kkkk pois o God Of War 4 já foi anunciado mas não irei entre em detalhes neste momento. (votando) Ela começa no primeiro jogo, é claro, com a sede de vingança contra Ares (que "traiu" Kratos e foi o responsável indireto pela morte da família do guerreiro). No segundo jogo quem foi pego pra Cristo é Zeus, e a terceira parte dessa história se foca inteiramente nisto: Kratos começa prometendo que Zeus não viverá pra ver a luz do dia seguinte, e é isso que o jogo se propõe a entregar ao jogador.

Por causa de um enredo direto e objetivo, alguns jogadores enxergam Kratos como um personagem unidimensional, praticamente um Pokemon que só sabe rosnar e repetir a palavra vingança. Como sou um fã da franquia, mas não um fanboy, posso tecer algumas opiniões menos enviesadas a esse respeito.

Eu não acho que Kratos seja o melhor ou mais carismático dos protagonistas de um jogo. Algumas de suas decisões são baseadas em pontos de vista completamente tendenciosos (o cara é um general virulento que implora a ajuda de Ares pra não perder a batalha contra os persas mas, depois que as coisas dão errado, ele quer culpar Ares pela sua sede de sangue?), e eu confesso que não consigo sentir muita simpatia por sua "pessoa" e motivações cá entre nos ele e bem aterrorizante kkkk.

Mas danem-se as análises psicológicas acerca da psique de marombados cobertos de cinzas: Kratos é a efígie do protagonista fodão dos games, que chuta traseiros (não importa se são divinos, demoníacos ou humanos) ele arregaça as entranhas como quem come uma rosquinha no café da manhã. E pra mim (e acredito que pro gênero do hack '2BE) isso basta.

Concluindo este tópico: God of War 3 é um jogo que cumpre o seu papel, que é o de finalizar uma franquia colocando todos os pingos nos i´s. (poxa ainda não acabou tem o 4? Ata mas o 4 ele vai seguir um outro enredo ok vou da final do mesmo jeito), dando nomes aos bois e amarrando pontas soltas que deixem brechas no enredo. Kratos obtém a sua vingança, descobre que suas ações tiveram um impacto maior do que ele mesmo imaginava e alcança a redenção de seus erros, realizando um último ato de altruísmo em favor da humanidade tão castigada pelos caprichos dos deuses.

Só uma opinião particular - Eu fico feliz com o anúncio do God of War 4. Quanto mais GOWs forem lançados, maior a possibilidade de saírem jogos com alta qualidade de produção e a produtora poderia se concentrar em outras mitologias, como a nórdica eu ate mesmo a grega mas com outro pessonagens assim teriamos mais e mais games sessacional para nos diverti e traze grandes emoções.

Minha nota pessoal a respeito do games:

GRÁFICOS (10,0), SOM (10,0), SISTEMA (9,0) E JOGABILIDADE (9,0)

vamos formar uma critica em minha analese,  primeiramente, vamos organizar as ideias e reparar em uma marca alcançada por God of War 3: acho que ele é o primeiro jogo analisado que levou duas notas máximas em dois de seus aspectos técnicos. Então, pra não ficar parecendo uma bajulação sem razão de ser, vamos por partes.

A parte do sistema eu não tenho literalmente NADA pra falar por isso dei um  nota 9,0 para mim foi justo kkkk

Se você jogou o primeiro jogo, ou assistiu a alguém jogando, eu não preciso escrever nenhuma vírgula a mais de texto: Kratos ganha XP (chame de orbes vermelhos, se quiser) pra evoluir suas armas e habilidades; coleta itens pra aumentar suas barras de energia e mana; e possui uma variedade quase desnecessária de combos e movimentos de luta que para mim e muito top.

posso atestar que as habilidades de Kratos (aquelas usadas com relíquias, como o arco e a cabeça de Helios) funcionam de forma mais que satisfatória, visto que é possível utilizar todas elas ao mesmo tempo com meros atalhos no controle (a mesma praticidade é vista na troca de armas).

Aos gráficos do jogo, eu tenho uma reclamação a fazer. Não sobre os visuais, que são perfeitos em um nível quase redundante de elogiar, mas na resmaterização da fraquia os jogos não são exibidas em tela cheia creio que pode causa alguma quebra de qualidade se for exibida em fullscream.

 Os visuais de GOW 3 são coisa de outro mundo e dispensa qualquer comentário.

TEM MUITO JOGO DE PS4 QUE NÃO SE COMPARA A GOW 3, VISUALMENTE ISSO É UM FATO!

indício do quão GOW 3 era um jogo de vanguarda, já em 2010 (ano de seu lançamento).

God of War 3 traz uma das introduções mais impactantes e derradeiras FICO de queixo CAIDO. Ela dá o tom dos gráficos absurdos que veremos em todo o resto da aventura, além de ser bem-feita a ponto de mobilizar uma boa parte do estúdio do jogo para torná-la possível de ser realizada (há um documentário de bônus que detalha como foi feita a fantástica animação do cavalo de água).

Além de proeza técnica, a introdução desse jogo apresenta uma das maiores características da série, que seria elevada um outro nível neste terceiro jogo: A EXTREMA VIOLÊNCIA DE KRATOS.

Se você se barbarizava com o tratamento que o espartano dava a minotauros, medusas e outros seres mitológicos nos jogos anteriores, passe longe desse aqui. Dessa vez a sanha de Kratos rompe as barreiras do aceitável e da perspectiva em terceira pessoa, apresentando o barbarismo do Fantasma de Esparta do ponto de vista das suas vítimas (como na parte em que pressionamos L3 e R3 pra cegar Poseidon, logo no começo).

SEM DUVIDA ESTE É UM OTIMO GAME QUE MERECE SER JOGADO


Espero que os fãs dos jogos tenham gostado